Aprenda com o Blog

E-mail marketing: como inovar sua estratégia em 2018

e-mail marketing

Para quem acredita que o e-mail marketing morreu, a Adobe (2017) traz a seguinte estatística: 61% dos consumidores querem receber e-mails de suas marcas favoritas. Outro indicador que comprova que essa mídia está firme e forte são os 250 bilhões de mensagens enviadas diariamente, via correio eletrônico, de acordo com a Statista (2017).

Como os dados não mentem e os hábitos na internet estão em constante adaptação, chegamos à conclusão de que, naturalmente, também houve uma mudança em como os e-mails são enviados – e qual seu real papel, dentro de uma estratégia de Marketing Digital.

Dentro desse cenário, entende-se que existiu (e ainda existe) uma necessidade de reformulação. Desde a forma como a criação é feita, até “como, quando e para quem” os conteúdos são enviados.

Sabemos que, cada dia mais, a personalização, posicionamento e qualidade dos produtos e marcas têm crescido em relevância. E é aí que o e-mail entra como uma ferramenta de diferenciação.

Neste post, vamos apresentar algumas formas de inovar, na hora de investir em e-mail marketing, fazendo desta estratégia uma forte aliada em suas campanhas digitais. Para isso, será preciso reformular técnicas antigas e abandonar alguns conceitos.

O e-mail marketing não morreu, ele se reinventou!

 

Esqueça aquele mailing imenso que sua empresa possui há anos. Por conta do alto volume de endereços ali presentes, muita gente acredita que esse fator será determinante para uma estratégia bem sucedida – o que é completamente equivocado.

Como os hábitos de consumo mudaram, juntamente com a importância de um posicionamento consistente das marcas, o e-mail marketing precisou falar a mesma língua. As chances de uma venda ser efetivada, através de um e-mail, são muito maiores quando há um cuidado com o conteúdo e um direcionamento consistente.

Antigamente, os e-mails serviam para enviar newsletters que, muitas vezes, nem queríamos receber. Porém, basta um clique para se desvincular de uma lista que não nos agrada. E é por isso que enviar mensagens criativas e que tragam benefícios ao usuário é o primeiro ponto para nortear uma estratégia de sucesso.

O e-mail marketing consiste em uma forma simples e eficaz de continuar a conversa com consumidores e potenciais clientes. Seja por meio de uma oferta de desconto, um lembrete de carrinho ou uma dica, ele tem o poder de nortear a caminhada do usuário pela jornada de compra, instigando e fazendo com que a marca ‘se mantenha presente’.

Aposto que você está curioso para saber como atualizar sua estratégia de e-mail marketing e otimizar seus índices de conversão, certo? Então, vamos direto ao ponto!

Como se destacar em 2018

 

Durante o evento Inbound deste ano, Marwa Greaves, gerente de Lead Nurturing e Automation da HubSpot, citou alguns elementos que precisam receber atenção extra, na hora de criar um e-mail marketing.

Design responsivo, segmentação, personalização e automação são alguns dos pontos mencionados por ela. A seguir, vamos discorrer um pouquinho sobre cada um deles.

 

DESIGN RESPONSIVO

Assim como nos websites, a importância do design responsivo nos e-mails é imensa. 54% das mensagens são abertas em plataformas móveis. E um e-mail que não permite uma leitura adequada tem muito mais chances de ser descartado.

Pensando nos dispositivos móveis e em uma estratégia cujo objetivo é levar o usuário até o seu site, um elemento que precisa ser pensado com cuidado é o call-to-action (CTA). Ele precisa se adequar ao tamanho do polegar, pois, assim, fica muito mais fácil de os usuários clicarem nele, sem maiores problemas.

De maneira geral, a responsividade no layout de um e-mail é mais que simplesmente adaptar o conteúdo para uma tela mais compacta. É preciso levar informações diferenciadas e direcionadas para os usuários.

Quando abrimos um e-mail no celular, por exemplo, um conteúdo que carrega rapidamente e de leitura fácil, sem dúvidas, terá mais sucesso. Ser objetivo, nesses casos, é uma ótima dica! Coloque-se no lugar de quem vai receber as suas mensagens e crie um conteúdo que se adapte às necessidades deste público.

 

SEGMENTAÇÃO

Segmentar bem sua base de e-mails é essencial para que não sejam cometidos alguns erros desnecessários, como, por exemplo, desejar “feliz Dia das Mães” para mulheres que não têm filhos – ou qualquer outro tipo de equívoco grosseiro.

Quando não segmentamos nossa base de contatos, não sabemos como atingir corretamente os usuários e, como consequência, não existirá uma conversa entre nós e os destinatários das mensagens. É preciso que exista identificação e coerência.

E-mails marketing com falta de direcionamento e sem segmentação resultarão em índices de abertura e ação baixos. E até mesmo em perda de inscrições. Criar e enviar mensagens é fácil, mas isso pode resultar em dano à marca, o que é mais difícil de ser revertido.

 

PERSONALIZAÇÃO

Personalizar um e-mail vai muito além de inserir o nome do usuário no início da mensagem. Tem a ver com inovar no conteúdo – o que está diretamente ligado à identificação que mencionamos, no ponto anterior.

Quando visitamos um e-commerce, criamos uma conta e nos inscrevemos na newsletter, por exemplo, não é difícil que, algumas horas ou dias depois, comecemos a receber e-mails com as fotos dos produtos que visualizamos ou nos quais demonstramos algum interesse. Esta é uma ótima forma de personalizar uma mensagem e fazer com que o usuário não esqueça daquele produto.

O mesmo acontece em estratégias de Inbound, quando um e-book ou material é baixado e você continua a ‘conversa’ enviando conteúdos relacionados. Isto aumenta as chances de o internauta voltar à sua página e fechar negócio com a sua marca.

A personalização é um dos pontos fortes do Marketing Digital. É fazer com que o seu cliente ou prospect se sinta importante, mostrando que a empresa está preocupada em entregar um produto ou serviço de valor.

 

AUTOMAÇÃO

Automação de e-mails é um processo natural e necessário, dentro do planejamento da estratégia. Entretanto, é preciso ter muito cuidado com o timing. Identificar o melhor momento para fazer uma oferta ou enviar uma pesquisa de satisfação, dentro de um workflow de e-mails, aumenta consideravelmente as chances de sucesso do seu plano de e-mail marketing.

O mesmo acontece de forma contrária. Quando o timing não é bem trabalhado, abrem-se brechas para que o cliente se sinta irritado ou não se identifique com a mensagem.

Ao estruturar um workflow, leve em consideração a trajetória do usuário, dentro do seu site. Identifique os tipos de conteúdo nos quais ele tem interesse e monte um planejamento de e-mails que respeite o tempo e a ordem das coisas. Enviar um formulário de pesquisa de satisfação antes de o cliente receber o produto, por exemplo, consiste em um erro crasso. Assim como enviar mensagens com produtos que nada têm a ver com o perfil de interesse do cliente.

Fale com quem quer te ouvir

 

Por mais simples que esta afirmação possa parecer, é importante lembrar que a prioridade da sua lista de e-mails deve ir para quem se inscreveu para receber a sua newsletter e tem interesse nas novidades e promoções da sua marca.

Listas prontas, com diversos e-mails aleatórios, ou até mesmo uma base muito antiga da sua empresa, pode não ser a melhor escolha, na hora de selecionar os destinatários. As chances de eles serem usuários desconexos com a sua marca ou que nem sequer se interessam pelos seus produtos é maior, resultando em índices ruins.

A dica é priorizar quem pediu para receber algo da sua marca. Assim, você tem a certeza de que essa pessoa terá uma tendência maior em se identificar com seus conteúdos e gerar conversões.

Lembre-se: na grande maioria dos casos, comprar listas é desperdiçar dinheiro. Você pode prejudicar a credibilidade da sua empresa e ser inconveniente com aqueles que não escolheram receber seus conteúdos.

Qual o seu objetivo, afinal?

 

Depois de ler várias dicas valiosas para aplicar na sua estratégia em 2018, imagino que algumas ideias já devem ter surgido, para iniciar o planejamento do próximo ano. Mas é importante destacar que nenhuma delas será de fato efetiva, se o objetivo das suas campanhas não estiver claro o suficiente.

Caso a sua empresa não tenha um objetivo que transpareça para os seus clientes – de forma sutil, é claro –, eles também não saberão a que tipo de ação estão sendo direcionados. Você quer que ele se inscreva em um evento, baixe um e-book ou compre aquele produto que esqueceu no carrinho? Então, seja objetivo! Aposte nos CTAs, nos links e seja flexível, para alcançar as metas traçadas.

Agora que você já conhece diversas formas de inovar em seus e-mails, chegou a hora de colocá-las em prática e trabalhar, para que os resultados apareçam. Aproveite para rever as dicas de livros de Marketing Digital que também podem lhe ajudar a otimizar seus indicadores.

Um abraço e até a próxima semana!

 

Inbound Marketing

Sobre o Autor

Fernando Freitas é diretor-fundador da Converta na Web. Seus resultados diferenciados em Marketing Digital já lhe renderam a capa da revista “Pequenas Empresas & Grandes Negócios”. Profissional credenciado pela norte-americana HubSpot, criadora da Inbound Marketing Methodology e principal referência do mundo em conversão na web. Estrategista, consultor e professor de pós-graduação no segmento digital, com foco em conversão e negócios de alta performance.