Aprenda com o Blog

O que você precisa saber antes de trabalhar com micro-influenciadores

micro-influenciadores

Devido ao alto poder de engajamento e potencial de conversão vindo de perfis populares – com destaque especial para o Instagram -, muitas marcas têm apostado nos influenciadores digitais, a fim de divulgarem seus serviços e produtos.

Também conhecidos como “digital influencers”, eles são usuários comuns e/ou celebridades que possuem perfis com uma alta quantidade de seguidores e índice de engajamento. Isto como resultado de uma produção de conteúdo atraente e criativa.

Seja um feed incrível de viagens ou uma menina que adora tirar fotos de seus looks diários, os perfis dos influenciadores digitais são recheados de pessoas que compartilham dos mesmos interesses – e, justamente por por isto, acabam se tornando atraentes para trabalhar nichos de mercado.

Tendo em vista que muitos internautas engajam com esses influenciadores, curtem e compartilham suas fotos, muitas marcas veem nesse segmento uma oportunidade para otimizar a exposição dos seus produtos.

Além disso, quando vemos uma ‘pessoa comum’ recomendando um serviço ou produto, damos muito mais credibilidade a ela do que quando vemos uma propaganda na TV. Isto se deve ao fato de que a pessoa, provavelmente, testou o produto, antes de falar sobre ele. O resultado, então, é uma credibilidade maior junto a outros potenciais compradores. Especialmente, quando comparado com anúncios publicitários, criados com a clara intenção de convencimento comercial.

Quem são os micro-influenciadores?

 

Dentro desse mercado de influenciadores digitais, existem dois grupos principais: os macro-influenciadores e os micro-influenciadores. Como o próprio nome sugere, os macro-influenciadores são aqueles que possuem uma grande quantidade de seguidores em seus perfis, ultrapassando a marca dos 100 mil.

Tanto celebridades, quanto ‘pessoas comuns’ que acabaram ficando populares por suas publicações, qualquer um pode ser considerado um macro-influenciador. Basta possuir muitos seguidores e uma alta taxa de engajamento nas publicações.

O mesmo acontece com os micro-influenciadores. Porém, a grande diferença está na quantidade de seguidores, que vai de 5 mil a 100 mil.

Dito isso, vale a ressalva de que os micro-influenciadores, mesmo possuindo bem menos seguidores, muitas vezes, acabam tendo uma taxa mais elevada de engajamento em seus posts, por conta do seu contato direto com a audiência e nicho mais segmentado.

Por que optar por um micro-influenciador?

 

Pode parecer estranho dizer que um micro-influenciador pode trazer mais resultados para a sua marca do que divulgar um produto para mais de 500 mil pessoas, certo? Mas a diferença entre o micro e o macro-influenciador está no índice elevado de engajamento e na credibilidade mais visível.

Por mais que um macro-influenciador tenha milhares de fãs, é comum a gestão do perfil ser terceirizada, o que faz com que ele se torne menos acessível. Afinal, o contato direto com o influenciador passa a ser uma mera ilusão. Este, sem dúvidas, é um dos fatores que mais pesam favoravelmente aos micro-influenciadores, já que o grande intuito da publicidade, por meio de influenciadores, é transmitir maior credibilidade.

Outro ponto sobre os micro-influenciadores é que o valor a ser investido é muito mais baixo. E, ao mesmo tempo, mais assertivo. Muitos influenciadores nessa categoria aceitam fazer permuta e outros cobram valores consideravelmente inferiores que os cobrados pelos donos de perfis mais acessados. Além disso, o público tende a ser mais segmentado, o que pode render engajamento igualmente superior.

De nada adianta divulgar sua marca em um perfil gigante, para milhares de pessoas, se apenas 0,1% daqueles usuários tem a chance de se interessar pelo seu produto. Agora, se você o divulga em um perfil menor… Mas que tem tudo a ver com o estilo da sua marca e as pessoas que seguem… Sem dúvidas, você aumenta as chances de obter ótimos resultados.

Perguntas que você precisa fazer, antes de uma campanha com micro-influenciadores

 

Antes de começar a trabalhar com micro-influenciadores, é preciso fazer algumas perguntas básicas, a fim de acertar na escolha. Vamos a elas!

 

1) Quais os seus objetivos?

Básico, mas essencial: definir bem os seus objetivos. Você pretende gerar conhecimento sobre a sua marca, lançar um produto específico, divulgar um evento…? A partir disso, você já pode ter uma ideia de que tipo de publicação você gostaria de pedir para que o micro-influenciador crie: um vídeo simples para o Stories do Instagram, ou uma foto específica para o feed. E assim por diante.

Com este ponto bem definido, agora, você pode seguir para a escolha dos perfis com os quais deseja trabalhar.

 

2) O micro-influenciador é fã da sua marca?

Após você dar uma olhada nos perfis que lhe interessam, chegou o momento de filtrar aqueles que mais têm chance de trazer resultados para a sua empresa. O primeiro ponto que você precisa analisar é se o influenciador já tem/teve algum contato com os seus produtos, ou utiliza uma marca similar. Ou seja: se ele tem afinidade com o seu mercado.

Além disso, é importante dar um olhada se ele já falou positivamente sobre a sua marca, recomendou-a e/ou adquiriu seus produtos. Isto poderá abrir ainda mais possibilidades e trará mais confiança aos seguidores, nas divulgações que vocês programarem juntos.

 

3) Qual a taxa média de engajamento do perfil?

Um dos pontos principais, na busca por micro-influenciadores, é analisar a taxa média de engajamento do perfil. De nada valem muitos seguidores, se as curtidas nos posts não acompanham esse volume.

Entretanto, não pense que perfis de macro-influenciadores possuem uma taxa mais elevada de engajamento que a dos perfis menores. Como já mencionamos, os micro-influenciadores têm vantagem, neste quesito.

Para você ter uma ideia, segundo a Squid – plataforma que conecta empresas e micro-influenciadores –, o engajamento diminui ao passo que o número de seguidores do perfil aumenta.

Em análise, a Squid identificou que perfis entre 1 mil e 10 mil seguidores possuem uma taxa de 4% de engajamento. Já os perfis entre 50 mil e 150 mil possuem apenas 1,2%.

É claro que a quantidade de pessoas é consideravelmente superior, no caso dos perfis maiores, mesmo com uma taxa de engajamento mais baixa. De qualquer forma, contudo, a assertividade dos micro-influenciadores é mais ampla tendo, tendo em vista a maior segmentação.

 

4) Qual o tipo de conteúdo que o micro-influenciador produz?

Faça parcerias com perfis que publicam conteúdos que têm a ver com a sua marca. Não adianta você querer divulgar um código de desconto para a sua hamburgueria, em um perfil fitness, certo? Então, use o bom senso!

Procure por pessoas que possuem os mesmos valores e ideias da sua marca, fazendo da parceria algo com que o influenciador realmente se identifique. Isto só trará benefícios, uma vez que a divulgação será mais verdadeira.

Se você possui uma marca de roupas de material sustentável, por exemplo, procure por micro-influenciadores que incentivem esse tipo de consumo e vivam isso na prática. Sem dúvidas, a maioria das pessoas que seguem esse perfil compactuam com as mesmas ideias e terão maior interesse em conhecer os seus produtos!

 

5) Eles trabalham com seus concorrentes?

A partir desta análise, você poderá ter uma ideia de como tem sido o engajamento com a concorrência e, até mesmo, solicitar um panorama ao micro-influenciador, para saber se vale a pena investir nele, na hora de fazer a sua campanha.

Você poderá ter vários insights do que fazer (e do que não fazer), além de, caso seja de seu interesse, tornar-se marca exclusiva daquele influenciador.

 

Incluir os micro-influenciadores em suas estratégias digitais pode ser uma excelente oportunidade! O segredo está em definir bem os seus objetivos e escolher os perfis certos para investir.

Que tal testar uma campanha nesse formato, ao invés de Facebook Ads, durante um mês? Assim, você poderá identificar o que melhor se encaixa no perfil da sua empresa, para otimizar cada vez mais o seu planejamento digital.

Se você já teve alguma experiência com micro-influenciadores ou tem interesse em investir nesse meio, comente aqui embaixo suas dúvidas e/ou considerações!

Um abraço e até a próxima!

 

Otimize suas mídias sociais

Sobre o Autor

Fernando Freitas é diretor-fundador da Converta na Web. Seus resultados diferenciados em Marketing Digital já lhe renderam a capa da revista “Pequenas Empresas & Grandes Negócios”. Profissional credenciado pela norte-americana HubSpot, criadora da Inbound Marketing Methodology e principal referência do mundo em conversão na web. Estrategista, consultor e professor de pós-graduação no segmento digital, com foco em conversão e negócios de alta performance.