Em quais métricas de vídeo devemos prestar atenção - Converta na Web

Aprenda com o Blog

Em quais métricas de vídeo devemos prestar atenção

metricas video

Você acabou de criar um vídeo incrível para ser colocado no seu site, canal do YouTube, página do Facebook ou qualquer outra mídia social possível. Porém, mesmo com tanto esforço, você concluiu que não teve a repercussão que você esperava?

Se o seu conteúdo não está conseguindo converter, levar usuários para o seu site ou até mesmo reter a sua audiência até o final do vídeo, talvez alguma coisa esteja errada. Diversos pontos precisam ser analisados, antes de tirar conclusões. Por isso, é muito importante saber em quais métricas devemos ficar de olho, para podermos planejar melhor as estratégias de vídeo marketing.

O melhor de tudo é que, para analisar essas métricas, você não precisará de nada além das próprias ferramentas das plataformas de divulgação. Elas, por si só, já mostram vários dados importantes sobre o seu vídeo – como audiência e visualizações, que são elementos importantes para entender a performance dos seus conteúdos.

Neste post, vamos lhe mostrar as métricas mais importantes para ficar de olho e entender o que está dando certo (ou não), nas suas produções em vídeo. Com isso, você terá uma base consistente, para aumentar suas visualizações, engajamento e conversões.

Quem é a sua audiência?

 

O primeiro ponto ao qual você precisa prestar atenção é a sua audiência. Este pode ser o primeiro tropeço para que o seu vídeo não tenha tanto engajamento quanto gostaria. Muitas vezes, nós achamos que o nosso público é um. Contudo, no fim, o interesse por aquele tema vem de outro nicho, muito mais específico e do qual você nem fazia ideia.

Dê uma olhada na faixa etária e gênero da sua audiência, para ter uma noção do tipo de linguagem que pode ser mais adequada. Seu público é mais jovem? Então, que tal descomplicar um pouco os termos e deixar o tom do vídeo mais leve?

O seu público ditará muitos aspectos do seu vídeo, incluindo o tempo de duração. Se a audiência é mais acadêmica, vídeos longos podem funcionar muito bem. Entretanto, se a intenção é entreter, aquela introdução gigantesca pode já não ser uma boa ideia.

Canais de divulgação

 

Depois que você criou o seu vídeo, o próximo passo é divulgá-lo, certo? Mas isto não significa que você deverá colocá-lo em todas as mídias possíveis. Se você analisou bem a sua audiência, poderá ter maior clareza de qual tipo de mídia ela utiliza e que tende a ter mais sucesso.

Se você criou um tutorial super bacana sobre maquiagem, por exemplo, o LinkedIn pode não ser a mídia mais adequada para divulgá-lo. O Instagram e o YouTube possuem uma propensão maior de alcançar o público que está antenado nesse mercado.

Alguns outros tipos de vídeos funcionam bem em landing pages específicas, como, por exemplo, quando tentamos convencer alguém a comprar um curso online. Já dicas para profissionais de determinada área podem funcionar bem no LinkedIn, assim como vídeos curtos e rápidos são ótimas opções para o Facebook e Instagram.

Tudo vai depender do objetivo do seu vídeo e de onde a sua audiência está. Estes dois pontos precisam conversar entre si, pois de nada adianta você fazer um material super interessante e direcionado para o seu público, se ele foi criado em um formato que nada tem a ver com o Instagram, por exemplo. Estude bem essas questões, para aumentar sua taxa de visualizações.

Monitore o tempo

 

O tempo de visualização e o ponto de desistência são cruciais para saber se o seu vídeo está ou não funcionando. Nenhum conteúdo consegue ter 100% de engajamento e isto é normal! Todavia, se você notar que o número de desistências é alto, logo no início ou no meio do seu vídeo, talvez seja preciso repensar alguns aspectos do seu material.

Analisar essa métrica pode fazer você tirar muitas conclusões assertivas. Se o índice de abandono do vídeo está alto já no início, provavelmente, você não conseguiu se conectar com o seu público, de maneira eficiente. Repense a sua introdução e a forma como você está expondo o seu conteúdo, bem como a qualidade do vídeo e como pode melhorá-lo, para gerar mais engajamento.

O mesmo acontece quando o índice de desistência é alto no meio do vídeo. Talvez, a duração dele esteja muito longa. Neste caso, que tal testar vídeos mais curtos e objetivos? Assim, você terá uma base de comparação para futuros materiais.

Caso você já esteja em busca por visualizações nas mídias, saiba que cada uma faz a contagem de forma diferente e isso é crucial, na hora de se planejar. 30 segundos são o tempo mais longo para se contar a visualização em um vídeo. Ou seja: se o internauta ultrapassar esta marca, automaticamente, você ganha um view para a sua conta.

No YouTube, são 30 segundos. Já no Facebook, Twitter e Instagram, são três segundos. No Snapchat, a contagem é imediata.

Taxa de conversão

 

Analisar o Click Through Rate (CTR, que é a taxa de cliques) das suas publicações em vídeo dirá se a divulgação da sua marca – ou a intenção com o seu vídeo – deu certo. Se você trabalha com a divulgação de produtos de outras empresas, essa métrica poderá ajudar (e muito), na hora de se promover e atrair mais oportunidades de negócio.

Independente do objetivo dos seus vídeos, a taxa de cliques tem um papel importante no processo de análise de conteúdo e mostrará se ele está convertendo como planejado.

Com esse dado, você saberá se a média está dentro do esperado, se o seu Call-to-Action (botão de convite à ação) está funcionando e, então, terá uma boa base para repensar a sua divulgação e aumentar ainda mais suas conversões.

Essa é, talvez, uma das métricas mais importantes, já que ela mostra se o objetivo final do seu vídeo está dando o retorno esperado e se você está no caminho certo.

Analise quem retorna aos seus vídeos

 

Mais que os novos usuários visualizando os seus vídeos, aqueles que retornam indicam o quanto um conteúdo deu certo. Além de contabilizarem mais views, isso mostra que o conteúdo realmente funcionou – e poderá lhe ajudar a direcionar outras estratégias digitais.

Através dessa análise, você saberá quais tópicos despertam mais interessante e chamam mais atenção; poderá se aprofundar, fazer novas variações e até mesmo identificar em qual estágio da jornada de compra o usuário se encontra, para enviar e-mails mais específicos, a fim de conquistar uma conversão.

Comentários e compartilhamentos

 

Assim como em toda plataforma, engajamento é uma das métricas nas quais devemos prestar mais atenção. Por exemplo: qual o sentido de ter milhares de seguidores, no Twitter, se nenhum deles retweeta aquilo que você publica?

O mesmo acontece no YouTube: apenas ter visualizações não quer dizer nada, mas os comentários mostram que você realmente se conectou com aqueles usuários. Eles são uma ótima forma de monitorar o engajamento dos seus vídeos.

Os compartilhamentos também são um excelente indicador, uma vez que esta é uma das melhores formas de engajamento. A partir de um compartilhamento, diversas outras pessoas terão acesso a um conteúdo – o que dá mais oportunidades dele se tornar popular.

Quando alguém compartilha o seu vídeo, isso quer dizer que ele realmente gostou daquele conteúdo e quer que mais pessoas o vejam. E esta métrica é muito mais importante, se comparada às curtidas, que são algo muito mais passivo e automático.

No YouTube, você tem acesso aos dados de quais plataformas o seu vídeo está sendo compartilhado, o que lhe dá uma boa noção sobre as mídias mais populares entre a sua audiência. Com isso, nós voltamos lá no segundo tópico e podemos entender quais canais têm potencial para alcançar o seu público-alvo.

E aí, como tem sido sua experiência com vídeos? Eles têm funcionado bem, dentro do seu planejamento de Marketing Digital? Se você acha que outras métricas também são cruciais para entender a performance dos seus vídeos, na internet, conte-nos aqui, nos comentários!

Um abraço e até a próxima semana!

 

Content Marketing

Sobre o Autor

Fernando Freitas é diretor-fundador da Converta na Web. Seus resultados diferenciados em Marketing Digital já lhe renderam a capa da revista “Pequenas Empresas & Grandes Negócios”. Profissional credenciado pela norte-americana HubSpot, criadora da Inbound Marketing Methodology e principal referência do mundo em conversão na web. Estrategista, consultor e professor de pós-graduação no segmento digital, com foco em conversão e negócios de alta performance.