Aprenda com o Blog

Mídias sociais: o que NÃO fazer na página da sua empresa

O que não fazer nas mídias sociais

Hoje em dia, é muito fácil estar conectado. Em especial, se estamos falando de um negócio. Empresas de diversos portes encontraram, nas mídias sociais, uma maneira de se aproximar de seus clientes e de promover seus serviços e produtos, como nunca havia sido feito antes. Tudo isto graças à popularidade dessas mídias, em qualquer parte do mundo.

O grande desafio não é estar conectado. Muito menos criar uma página destinada à sua empresa. O foco, na verdade, é como você se comporta naquele universo. Assim como em alguns cliques você cria uma página comercial, para alcançar o seu público, também é possível acabar com a reputação do seu negócio. Em questão de segundos.

Mas e aí? Como se comportar? O que devo ou não fazer? É sobre isto que vamos falar, no post de hoje, mostrando quais as práticas que devem ser evitadas, nas suas mídias sociais, para que você crie uma rede de engajamento e prospecção – e não deixe algumas pequenas falhas arruinarem a sua marca.

Então, preste bastante atenção em cada uma delas e observe se você não anda praticando nenhum dos pontos a seguir, combinado? Vamos lá!

1. Criar um perfil pessoal para divulgar sua empresa

 

Sei que este primeiro ponto parece óbvio, mas é mais comum do que você imagina. Muitas pessoas que estão começando a empreender e não conhecem alguns detalhes do Marketing Digital acabam não sabendo que existe a funcionalidade de criar uma página empresarial para o seu negócio. Com isso, acabam criando um perfil pessoal, em nome de suas empresas.

Você já foi acessar a página de uma loja, no Facebook, e acabou se deparando com um perfil para o qual teve que solicitar amizade? Pois é! Isto acontece – e muito! Vários usuários, por ainda não terem tanta experiência com as mídias sociais, veem estes canais apenas como uma forma gratuita de divulgação. Então, arriscam-se a criar uma conta, sem ao menos pesquisas as regras das plataformas.

O Facebook, por exemplo, proíbe – de forma expressa e veemente – que empresas utilizem perfis pessoais. Portanto, tome cuidado!

2. Deixar de fazer um planejamento

 

Planejar é uma etapa crucial, quando falamos em Social Media Marketing. E deixar de fazê-la é sinônimo de perder tempo e dinheiro!

Primeiramente, realizar uma pesquisa sobre o seu público é essencial, pois isto lhe permitirá identificar quais tipos de mídias em que ele está presente. Sabendo disso, você terá uma ideia de onde precisa estar e em que canais investir.

Procure entender o comportamento do seu target, nessas mídias, e quais os conteúdos que esse grupo mais gosta de ver e compartilhar. Isto lhe dará insights valiosos!

Depois de entender onde é preciso estar, trace metas e ações. Ter um objetivo claro e o que pode ser feito para alcançá-lo é fundamental. Você precisa levar as pessoas até o seu site? Você quer fortalecer a sua marca? Tudo isso dirá muito sobre as suas postagens, posicionamento, promoções e demais afins.

Resumindo: planeje-se! Sem um planejamento adequado, a sua marca não alcançará um resultado concreto, criando apenas ações desconexas e sem efeito.

3. Ficar se promovendo o tempo todo

 

Sabemos que o seu intuito é vender, atrair mais tráfego para o seu site… E por aí vai. Contudo, isto não deve ser uma justificativa, para ficar promovendo seus serviços, a cada postagem.

Coloque-se no lugar de seus seguidores e pense: você gostaria de cruzar com esse conteúdo, na sua timeline, toda hora? Tenho certeza que não!

A sua página também deve ser uma fonte de conteúdo relevante acerca do seu mercado. Portanto, busque maneiras alternativas de engajar o seu público e fortalecer a sua marca.

4. Ser ativo até demais

 

Nas mídias sociais, ser participativo é necessário. Afinal, isto mostra que a sua página se importa em criar conteúdo relevante para os seus seguidores. Porém, um ponto importante do qual algumas empresas esquecem é que ser ativo não significa postar diversas vezes ao dia e lotar a timeline dos usuários, com conteúdo indesejado.

É preciso que haja uma dosagem, na hora de lançar novas publicações. E existem formas de se planejar para isso. A primeira delas é criar um calendário editorial e prever o que será postado, alternando dias e horários que mais se adequam aos picos de atividade dos seus seguidores. Com isso, você criará conteúdos mais eficazes, ao invés de ‘postar só por postar’.

5. Publicar o mesmo conteúdo em todas as mídias sociais

 

Este é um erro muito comum, uma vez que as empresas acreditam que poderão poupar trabalho, duplicando um mesmo conteúdo, em todas as suas páginas.

Primeiramente, os formatos de conteúdo para cada rede são diferentes, ou seja: o que funciona no Facebook pode não ser tão adequado para o LinkedIn. O perfil das pessoas são diferentes, bem como a linguagem e outros aspectos.

Para falar com quem está no Twitter, por exemplo, é necessário que exista muito mais objetividade. Além de a linguagem ser totalmente diferente que a recomendada para o LinkedIn, que é uma rede mais profissional.

Fora isso, postagens que são populares no Facebook podem, simplesmente, não se encaixar no Instagram, já que esta é uma rede de apelo mais visual.

Outro ponto para o qual é preciso atentar, quando falamos de duplicar conteúdo em mídias sociais distintas, é que a maioria dos seguidores que realmente curtem uma marca irá segui-la em todas as redes. Entretanto, qual a vantagem de alguém fazer isso, se o conteúdo será igual, em todas elas? O resultado: perda de engajamento, curtidas e seguidores.

6. Ignorar comentários negativos

 

Ao invés de ignorá-los, por que não usá-los a seu favor? Esta é uma maneira de o seu público se manifestar e expor seu descontentamento com relação a algo. Leia cada frase, com atenção, e tente entender o motivo de isso estar acontecendo.

Será que é apenas uma crítica gratuita? Ou o seu cliente, realmente, tem algo a acrescentar? Utilize os feedbacks para melhorar ainda mais o seu serviço.

O seu cliente quer ser ouvido e encontrou nas mídias sociais uma forma de fazer isso. Procure respondê-lo de forma educada e atenciosa. Assim, outros usuários também perceberão o modo diferenciado com que você lida com os clientes.

Mas e se esses comentários são sem fundamento? Uma boa dica é utilizar o humor, para contornar a situação. Ignorar nunca é a melhor solução! Sem dúvidas, os autores das críticas ficarão ainda mais irritados e poderão tornar o problema muito maior do que realmente é.

Portanto, nunca desabilite seus comentários ou apague os negativos. Esta é uma ótima oportunidade de melhorar sua reputação, caso a interação com os internautas seja feita com cuidado e, acima de tudo, respeito.

7. Usar linguagem excessivamente informal

 

Muitas empresas querem utilizar uma linguagem mais informal, pois acham que esta é a maneira ideal para criar uma relação mais próxima do seu público. Até certo ponto, faz sentido. Porém, isso não significa que você poderá utilizar gírias ao léu, fazer piadas sem nexo e compartilhar conteúdos que não têm nada a ver com a proposta da sua marca.

Em uma página empresarial, ser informal não é sinônimo de falar com um amigo, no Whatsapp. É apenas dar um tom mais descontraído aos seus posts. Sem esquecer de utilizar a pontuação correta e manter a linguagem adequada. Aqui, tudo conta.

Geralmente, as empresas que tentam ser cool em excesso acabam criando um efeito contrário. As pessoas estão seguindo uma marca e a linguagem utilizada pode dizer muito sobre ela. Portanto, meça as palavras e entenda qual a melhor forma de se comunicar com o seu público, sem parecer forçado e refletindo a maneira como a empresa quer ser vista.

8. Comprar seguidores

 

Um dos maiores erros, além de desperdício de dinheiro. Comprar followers pode soar interessante, num primeiro momento, por dar a falsa impressão de que muito mais pessoas passarão a visualizar o seu negócio. Mas é, justamente, o contrário que acontece.

Quando se compra seguidores, diversos perfis são falsos e feitos somente para dar volume. Além disso, de que adianta ter um monte de gente seguindo a sua página, se 80% delas não têm absolutamente nada a ver com o seu público-alvo?

Ao pagar para obter novos followers, sua empresa terá somente números. O que não significa nada, no final das contas. Você está nas mídias sociais para engajar, atrair tráfego. Por isso, conquistar seus fãs é muito mais vantajoso, já que eles curtirão a sua página de forma genuína. Por, verdadeiramente, se identificarem com a sua marca. Portanto, as chances de esses followers se tornarem clientes é muito maior.

Quantidade não significa qualidade – e sabemos disso! Então, fique longe dessa enrascada.

 

NÃO ESQUEÇA DO MONITORAMENTO

Não existem guias definitivos que ensinem o que fazer (e o que não fazer), nas mídias sociais. Entretanto, as boas práticas são a melhor maneira de nortear suas atividades e saber o que é preciso evitar.

Junto com todas essas dicas, também é fundamental que você sempre mensure os resultados. Fique de olho nos conteúdos pelos quais as pessoas mais se interessam, para quais dão likes e em quais deixam comentários. Fazer este acompanhamento é essencial, a fim de direcionar melhor as ações e criar um calendário editorial cada vez mais assertivo.

Agora que você já sabe o que não funciona nas mídias, o próximo passo é ficar de olho no que tem sido feito e em como melhorar as suas ações. Um planejamento bem estruturado é a chave para o sucesso.

Você também tem alguma dica sobre boas práticas nas mídias sociais das empresas? Então, compartilhe com a gente, nos comentários!

 

Otimize suas mídias sociais

Sobre o Autor

Fernando Freitas é diretor-fundador da Converta na Web. Seus resultados diferenciados em Marketing Digital já lhe renderam a capa da revista “Pequenas Empresas & Grandes Negócios”. Profissional credenciado pela norte-americana HubSpot, criadora da Inbound Marketing Methodology e principal referência do mundo em conversão na web. Estrategista, consultor e professor de pós-graduação no segmento digital, com foco em conversão e negócios de alta performance.